.
Entrar | Contactos | Dicionário | FLiP.pt | LegiX.pt | Blogue | Loja

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Nova Ortografia – Modo de Usar

A Priberam acaba de disponibilizar gratuitamente e online o guia Nova Ortografia – Modo de Usar, destinado a todos aqueles que possam ter dúvidas sobre a nova ortografia ou que pretendam começar a aplicar o Acordo Ortográfico de 1990, que recentemente começou a ser aplicado no sistema educativo em Portugal.

Trata-se de um guia resumido sobre o que muda com o novo Acordo Ortográfico da língua portuguesa. É de acesso gratuito e está disponível no site do FLiP, em formato PDF, para que qualquer pessoa o possa consultar, imprimir ou partilhar.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

FLiP:mac na imprensa

A secção “Multimédia” da edição impressa do jornal i faz hoje uma apreciação do FLiP:mac 3, o pacote FLiP de ferramentas de revisão e auxílio à escrita para Mac:

“[...] No geral, é uma ferramenta indispensável a habitar no nosso computador. É leve no sistema, demonstra eficácia com a produção de resultados imediatos na escrita, tem um preço atractivo e pode ser adquirido e descarregado na loja online da Priberam.”

In i, n.º 747, 27 de Setembro de 2011, p. 15.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Aniversário da Priberam prolonga promoção FLiP no Facebook: -50%


A Priberam celebra 22 anos no próximo dia 25 de Setembro.

Para comemorar mais um aniversário e o facto de recentemente termos ultrapassado os 20 000 fãs na nossa página do Facebook, resolvemos prolongar a promoção de 50% de desconto na compra do FLiP 8, do FLiP:mac 3 e do FLiP:mac 3 Brasil na loja da Priberam.

O FLiP detecta e corrige erros ortográficos no Word e noutras aplicações, com ou sem o Acordo Ortográfico de 1990. É um programa informático que inclui ainda um conversor para a nova ortografia, um dicionário e um conjugador, entre outras ferramentas.

Até 25 de Setembro, dê a volta ao texto com esta promoção.

Nota: o desconto aplica-se apenas na compra dos produtos indicados na loja da Priberam durante o período da campanha. O desconto só é mostrado após clicar em "Checkout" na loja, caso tenha uma sessão do Facebook activa e seja fã da Priberam. Terá de autorizar a aplicação da Priberam a aceder ao seu perfil no Facebook (para verificarmos que é nosso fã). Se, por qualquer razão, o desconto não aparecer, não efectue o pagamento sem contactar o Serviço de Apoio ao Cliente da Priberam.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Promoção FLiP no Facebook: -50%

A Priberam ultrapassou 20 000 fãs na página do Facebook!

Para agradecer a todos a preferência, as sugestões e os comentários, oferecemos aos nossos fãs um desconto de 50% na compra do FLiP e do FLiP:mac na nossa loja da Priberam.

O FLiP detecta e corrige erros ortográficos no Word e noutras aplicações, com ou sem o Acordo Ortográfico de 1990. É um programa informático que inclui ainda um conversor para a nova ortografia, um dicionário e um conjugador, entre outras ferramentas.

Até 21 de Setembro, dê a volta ao texto com esta promoção.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Colóquios em Maputo


O Instituto Internacional da Língua Portuguesa organiza na próxima semana, em Maputo, o colóquio “A Diversidade Linguística nos Países da CPLP”.

O encontro tem por objectivo a troca de experiências entre representantes de diversas organizações que se dedicam ao estudo e à gestão da pluralidade linguística da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP).

Estão programadas comunicações sobre política de língua, direitos linguísticos na legislação, oficialização de línguas minoritárias, ensino bilingue e plurilingue e formação de docentes para esses tipos de ensino.

O colóquio decorre de 12 a 14 de Setembro no Ministério de Educação moçambicano e o programa está disponível aqui.

No dia seguinte, 15 de Setembro, também em Maputo e ainda subordinado ao tema da pluralidade linguística, decorre o colóquio “Português em Contexto Africano Multilingue: em busca de consensos”, organizado pela Universidade Eduardo Mondlane e pelo Instituto Camões em Moçambique.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Centenário da primeira reforma ortográfica em Portugal


«Ministério do Interior – Direcção Geral da Instrução Secundária, Superior e Especial – 1.ª Repartição. – Conformando-se com o parecer da comissão encarregada, por portaria de 15 de Fevereiro de 1911, de estabelecer as bases para a unificação da ortografia que deve ser adoptada nas escolas e nos documentos e publicações oficiais:
Manda o Govêrno da República Portuguesa, pelo Ministro do Interior:
1.º Que o relatório da referida comissão seja publicado no Diário do Govêrno, devendo ser para o futuro adoptada em todas as escolas, e bem assim nos documentos e publicações oficiais, a ortografia proposta pela comissão;
2.º Que se dê a tolerância máxima de três anos, a contar da data da publicação da presente portaria, para a conservação das grafias existentes nos livros didácticos actualmente em uso, a fim de não prejudicar os respectivos autores ou editores;
3.º Que se promova a rápida organização e publicação, pelo preço mais módico possível, de um vocabulário ortográfico e de uma cartilha, especialmente destinada a vulgarizar e exemplificar o sistema de ortografia adoptado;
4.º Que a comissão nomeada por portaria de 15 de Fevereiro de 1911 continue em exercício pelo tempo que se julgar conveniente, a fim de ser ouvida sobre quaisquer dúvidas que se suscitem relativamente à execução da reforma proposta, podendo a referida comissão reùnir-se por iniciativa própria, ou convocada pela Direcção Geral da Instrução Secundária, Superior e Especial, por intermédio da qual serão feitas quaisquer reclamações sôbre o assunto.
Paços do Govêrno da República, em 1 de Setembro de 1911. O Ministro do Interior, António José de Almeida

É com este texto, publicado no Diário do Govêrno n.º 206, de 4 de Setembro de 1911, pág. 5-6, que se aprova o primeiro acto legislativo sobre a ortografia da língua portuguesa. De acordo com o chefe do gabinete de revisão da Imprensa Nacional de Lisboa na altura, a regulação da ortografia era premente uma vez que “tais variedades de grafias trazem para a Imprensa [Nacional] não só descrédito mas também prejuízos pecuniários”, pois as emendas que eram necessárias fazer aquando da transição para outras publicações periódicas, “além de estabelecerem confusão no espírito do compositor, avolumam de uma maneira assombrosa a despesa da composição, e impedem a rapidez da impressão” (p. 3).
Na base desta portaria estão as Bases da Ortografia Portuguesa, obra escrita em 1885 pelo romanista Gonçalves Viana e pelo orientalista Vasconcelos Abreu.

Cem anos e algumas reformas ortográficas depois, com as consequentes discussões académicas (e não tão académicas), inúmeras interpretações e muita polémica, confirma-se que a questão da ortografia continua a ser “um dos capítulos mais atormentados da história linguística portuguesa”, como escreve Giuseppe Tavani em A Demanda da Ortografia Portuguesa (Lisboa: Edições João Sá da Costa, 1987, p. 201). Será que vai continuar a sê-lo nos próximos cem anos?





Priberam.pt
.