.
Entrar | Contactos | Dicionário | FLiP.pt | LegiX.pt | Blogue | Loja

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Números de 2015

Dados gerais

No ano de 2015, o site do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa contabilizou mais de 25 milhões de utilizadores e viu o número de acessos aumentar em todos os países da CPLP, à excepção do Brasil. Curiosidade: o maior crescimento registou-se no Quénia, onde o número de acessos mais do que quadruplicou, tornando-se no 11.º país do ranking.

A proveniência dos mais de 25 milhões de consulentes do Dicionário Priberam é diversificada, com o Brasil na liderança, logo seguido de Portugal e dos Estados Unidos da América. Na proveniência por cidades, Lisboa fica à frente de São Paulo e do Rio de Janeiro. Curiosidade: no ranking, a primeira cidade não pertencente a um país da CPLP é Nova Deli, em 56.º lugar, seguida de Madrid, em 60.º, e de Londres, em 62.º.


Figura 1: Proveniência dos utilizadores do Dicionário Priberam por cidade


Verificou-se ainda um aumento de 46% no número de acessos ao Dicionário Priberam a partir de dispositivos móveis (smartphones e tablets), seja directamente ao site, seja através das aplicações do dicionário para Android, iOS e Windows Phone, tendência iniciada no ano anterior.



Palavras mais pesquisadas

A palavra mais pesquisada no Dicionário Priberam em Portugal foi resiliência, logo seguida de indigitar e de paradigma.

Figura 2: Palavras mais pesquisadas no Dicionário Priberam em 2015

Se o elevado número de pesquisas por resiliência se percebe em tempos de austeridade, a busca por indigitar explica-se pelas indigitações de um e, poucas semanas depois, de outro primeiro-ministro em Portugal.

No Brasil, a palavra mais pesquisada no Dicionário Priberam foi igualmente resiliência, seguida de procrastinação e de inerente.

As palavras mais pesquisadas nos restantes países de língua oficial portuguesa incluem pormenorizar, orientação e adenda em Angola; monitorização, instigar e requerer em Cabo Verde; lenda, vimos e baptizado na Guiné-Bissau; fanatismo, enlace e interacção em Moçambique; concomitantemente, leviandade e cantábrico em São Tomé e Príncipe; contra-ordenacional, equídeos e mandatários em Timor-Leste.



O ano de 2015 em palavras

As palavras mais pesquisadas no site do Dicionário Priberam surgem agrupadas diariamente numa “nuvem” visível no lado direito da página da Internet:
Figura 3: Nuvem de palavras mais pesquisadas do dia 24 de Novembro de 2015

A análise dessa nuvem ao longo das semanas e dos meses permite verificar que vários acontecimentos em Portugal, no Brasil e no resto do mundo tiveram impacto nas pesquisas efectuadas no Dicionário Priberam em 2015 (para saber quais, basta clicar nas palavras com hiperligação abaixo).

Em Janeiro, após o atentado terrorista contra o jornal francês Charlie Hebdo, jiadismo destacou-se na nuvem durante várias semanas; em Fevereiro foi a vez de iconoclasta, atributo associado ao então novo ministro das finanças grego Yanis Varoufakis; Março foi mês de pesquisar por babilônia, nome de telenovela estreada nesse mês no Brasil, e por deliberadamente, após a queda de um avião nos Alpes franceses; em Abril, o anúncio das memórias do ex-líder madeirense Alberto João Jardim colocou bilhardice na nuvem e mesma sorte teve xenofobia, na sequência de protestos contra a xenofobia na África do Sul; em Maio destacou-se doleira, no seguimento da investigação policial brasileira Operação Lava Jato; em Junho chegou jajão; em Julho impôs-se pan-americano, devido à realização dos Jogos Pan-Americanos; Agosto foi mês de emigrantes, sobretudo em Portugal; em Setembro, a onda de refugiados sírios na Europa fez disparar novamente as buscas por xenofobia; Outubro foi mês de abstenção e de indigitação (de um primeiro-ministro) por causa dos resultados das eleições legislativas em Portugal; Novembro voltou a ser mês de indigitação (de outro primeiro-ministro), mas também de bataclã, após novo atentado terrorista em Paris, e ainda de grelo, a propósito de um festival do grelo na Galiza que, por erro de tradução automática, foi publicitado como festival do clitóris em espanhol; finalmente, em Dezembro, a nuvem deu destaque ao pedido de impeachment contra a presidente brasileira Dilma Rousseff e à criminalização do piropo com carácter de proposta sexual em Portugal.

4 comentários:

  1. E os dados dos erros mais pesquisados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O serviço que nos permite obter informação sobre os erros mais pesquisados está indisponível, pelo que não conseguimos obter esses dados.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Obrigado pela resposta. De facto, é uma pena, é um dado importantíssimo.

      Eliminar






Priberam.pt
.